Negociações Coletivas 2018 Idiomas
Negociações Coletivas 2018 Idiomas
Esclarecer algumas dúvidas sobre as negociações salariais
Convênios
Convênios
São várias opções nas áreas de saúde, comércio e lazer. Confira
Adílson Araújo: Pra ganhar tem que jogar
Adílson Araújo: Pra ganhar tem que jogar
Leia abaixo o artigo do presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Luta no STF, luta nas ruas
Luta no STF, luta nas ruas
A reforma trabalhista afetou os trabalhadores com o fenômeno da ‘uberização’. O artigo é do diretor do sindicato, João Batista da Silveira
Não fique sozinho. Sindicalize-se!
Não fique sozinho. Sindicalize-se!
Um sindicato só pode ser forte o bastante para enfrentar os patrões se a categoria estiver unida
Contribuição assistencial e mensalidade sindical
Contribuição assistencial e mensalidade sindical
Atenção, estabelecimentos particulares de ensino para o informe do sindicato
Homologação das Rescisões Contratuais
Homologação das Rescisões Contratuais
O SAAEMG orienta as empresas, contabilidades e trabalhadores que as rescisões contratuais devem ser homologadas no sindicato.

    Notícias

    06/06/2018
    OIT: Anamatra denuncia pressão para que juízes acatem a reforma trabalhista
    por CTB com informações da Anamatra*

    A Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) levou à 107ª Conferência Internacional do Trabalho, encontro promovido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), a denúncia de que magistrados e magistradas brasileiros estão sofrendo pressões para acatarem a reforma trabalhista (Lei 13.467/2017).

    A Carta Aberta entregue durante a conferência em Genebra, na Suíça (que vai até 8 de junho) denuncia que, a partir da aprovação da Lei 13.467/2017, os juízes do trabalho passaram a sofrer inúmeras tentativas de intervenção na sua independência judicial. 

    "Além de frequentes ataques, inclusive no âmbito parlamentar e pela mídia, havendo até mesmo ameaças de extinção da Justiça do Trabalho, caso não aplicassem o novo texto de forma literal", diz trecho da carta.

    Em outro ponto, o documento destaca: “A independência judicial, no entanto, constitui um dos primados de um sistema de justiça que se possa considerar democrático e consentâneo com o compromisso de realização das normas de proteção dos direitos humanos, inclusive dos direitos humanos trabalhistas”.

    Na avaliação da vice-presidenta da Anamatra, Noemia Porto, a Carta Aberta repercutiu na representação tripartite de outros países que observaram com preocupação os movimentos que visam a fragilizar o sistema de justiça no Brasil.

    “É dever da Anamatra publicizar, debater e denunciar todas as formas e os instrumentos que tenham por finalidade agredir a independência judicial, seja mediante ameaças de extinção da Justiça do Trabalho, seja por matérias da mídia que classificam pejorativamente a atuação da Magistratura. Defender a independência técnica dos juízes e das juízas é o mesmo que defender a democracia e o Estado de Direito”.

    *Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra)

    Leia também:

    Lei da reforma trabalhista impulsiona país para pobreza extrema, avalia Anamatra

    Trabalho intermitente contrata 6 mil. "Acordos" demitem 7 mil

    Cerco às mulheres: Reforma Trabalhista impõe perdas históricas à luta feminista e ao país

    Efeito "reforma" trabalhista: funcionária demitida que perdeu ação terá de pagar R$ 15 mil em custas e honorários

    Entenda os dez principais pontos que foram aprovados na “Reforma” Trabalhista

    Reforma trabalhista leva universidade a demitir e recontratar, com salário mais baixo, mais de mil professores

    SAAEMG participa do Dia Nacional de Mobilização contra as Reformas da Previdência e Trabalhista

    Rua Hermilio Alves, 335
    Santa Tereza - Belo Horizonte - MG
    CEP 31.010-070
    (31) 3057-8200