COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA PEDIDO DE BOLSAS DE ESTUDOS ATÉ 25/06/2020
PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA PEDIDO DE BOLSAS DE ESTU
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL - APROVAÇÃO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2020/2021
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRTUAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRT
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDIN
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
Conheça as decisões da liminar
Conheça as decisões da liminar
Convênio médico com atendimento gratuito
Convênio médico com atendimento gratuito
Associados do SAAEMG e seus dependentes contam com atendimento médico gratuito na rede de clínicas Dr.Agora
Bolsas de Estudos - 2020
Bolsas de Estudos - 2020
Pedidos deverão ser feitos no sindicato a partir de abril
Plano de saúde Unimed para a categoria
Plano de saúde Unimed para a categoria
Fale com um consultor agora
Homologação das Rescisões Contratuais
Homologação das Rescisões Contratuais
O SAAEMG orienta as empresas, contabilidades e trabalhadores que as rescisões contratuais devem ser homologadas no sindicato.
Aos funcionários das escolas de idiomas
Aos funcionários das escolas de idiomas
Leia abaixo o documento
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
O SAAEMG orienta os trabalhadores nos seguintes pontos:

    Notícias

    29/11/2018
    Adiada votação do Escola Sem Partido no STF
    por Contee*

    O Supremo Tribunal Federal (STF) inverteu a pauta desta quarta-feira (28) e adiou, sem data definida, o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee) que questiona a Lei 7.800/2016, de Alagoas.

    A lei, a pretexto de impedir a “doutrinação política e ideológica” no sistema educacional estadual e que os professores incitem os alunos a participar de manifestações, atos públicos ou passeatas, coloca todos os professores sob suspeita. A relatoria é do ministro Roberto Barroso, que acatou os argumentos da Contee.

    Para o coordenador-geral da Contee Gilson Reis que, com os coordenadores João Batista da Silveira (Assuntos Jurídicos) e Rodrigo Pereira de Paulo (Assuntos Institucionais), acompanhou o consultor jurídico da Contee, José Geraldo Santana, à sessão, “estamos vivendo um clima de caça às bruxas, ou melhor, caça às professoras e professores no país. A tendência do STF era de declarar a lei inconstitucional, mas corre na Câmara dos Deputados projeto de lei com igual teor, de ‘Escola Sem Partido’, na verdade, Lei da Mordaça que, se aprovado, trará grandes prejuízos à educação e à formação das novas gerações no país”.

    Durante o julgamento, o presidente do STF, Dias Toffoli, ausentou-se da sessão para receber os deputados Danilo Cabral (PSB-PE, presidente da Comissão de Educação da Câmara do Deputados), Dorinha Seabra (DEM-TO, 1ª vice-presidente), Alice Portugal (PCdoB-BA, 2ª vice-presidente) e Aliel Machado (PSB-PR, 3º vice-presidente), que defendem que o PL é uma afronta à liberdade de cátedra e representa um risco real e profundo para a educação brasileira. Para eles, a nomenclatura correta para designar a proposta seria Lei da Mordaça – como vem sendo chamada pela oposição e pelos movimentos sociais. Eles solicitaram a imediata votação da ADI, mas não foram atendidos. Alice Portugal salientou que pediu ao Supremo a aceleração de um julgamento que “pode evitar que tenhamos, no Brasil, uma grande insegurança jurídica na comunidade escolar”.

    Durante a reunião, o presidente do STF sinalizou a possibilidade de colocar as ações em votação ainda nesta quarta-feira. Apesar da presença da Contee e outras entidades na sessão e do esforço dos deputados, Toffoli recuou e anunciou no final da tarde que elas ainda não serão julgadas, sendo recolocadas em pauta posteriormente.

    A Contee, entidades filiadas e categoria continuarão mobilizadas e dialogando com ministros do Supremo, parlamentares, estudantes e pais dos alunos para que a Lei da Mordaça não continue, denunciando seu conteúdo retrógrado”, conclama Gilson Reis.

    Deverá ser retomado nesta quinta-feira (29) pelo STF o julgamento sobre a legalidade do decreto de indulto a presos publicado por Michel Temer (MDB) em dezembro do ano passado. A inclusão do tema na pauta é que levou ao adiamento da ADI da Lei da Mordaça.

    Fonte: Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee)

    Leia também:

    Manual de Defesa contra a Censura nas Escolas

    Nota em repúdio à perseguição de professores

    A utopia contra a escola racista, excludente e com partido

    MPF diz à Câmara dos Vereadores de BH que "Escola sem Partido" é inconstitucional

    Presidente da FESAAEMG comemora decisão do STF que suspende a “Lei da Mordaça”

    Rua Hermilio Alves, 335
    Santa Tereza - Belo Horizonte - MG
    CEP 31.010-070
    (31) 3057-8200