Bolsas de Estudo - 2021
Bolsas de Estudo - 2021
COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL - APROVAÇÃO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2020/2021
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRTUAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRT
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDIN
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
Conheça as decisões da liminar
Conheça as decisões da liminar
Convênio médico com atendimento gratuito
Convênio médico com atendimento gratuito
Associados do SAAEMG e seus dependentes contam com atendimento médico gratuito na rede de clínicas Dr.Agora
Bolsas de Estudos - 2020
Bolsas de Estudos - 2020
Pedidos deverão ser feitos no sindicato a partir de abril
Plano de saúde Unimed para a categoria
Plano de saúde Unimed para a categoria
Fale com um consultor agora
Homologação das Rescisões Contratuais
Homologação das Rescisões Contratuais
O SAAEMG orienta as empresas, contabilidades e trabalhadores que as rescisões contratuais devem ser homologadas no sindicato.
Aos funcionários das escolas de idiomas
Aos funcionários das escolas de idiomas
Leia abaixo o documento
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
O SAAEMG orienta os trabalhadores nos seguintes pontos:

    Notícias

    09/12/2019
    SUS gratuito e de qualidade: uma conquista popular que precisa ser garantida
    por Gláucia de Fátima Batista*

    O SUS surgiu a partir de muitas lutas populares de lideranças de bairros, comunidades eclesiais de base, sindicalistas, trabalhadoras e trabalhadores de saúde na década de 80. E você se lembra como era antes? Somente as pessoas que tinham carteira assinada, aquelas inseridas no mundo do trabalho, eram atendidas e mesmo assim, pagavam por esse atendimento.

    Em Belo Horizonte, a 1ª Conferência de Saúde foi feita em 1986, preparando para a 8ª Conferência Nacional de Saúde em Brasília, um marco na história com a participação de mais de cinco mil pessoas de todos os cantos do país, defendendo a saúde como um direito e dever do Estado. A pressão popular foi tanta que, em 1988, a saúde foi inserida na Constituição Federal como Direito de cidadania e dever do Estado. Mas as leis 8080, Lei Orgânica da Saúde, e a 8142, que trata do controle social no SUS, só foram aprovadas em 1990. 

    O SUS nasceu e desde seu nascimento sofre ataques. O ex-presidente Fernando Collor, por exemplo, derrubou a parte da lei que tratava do financiamento do SUS e do controle social, mas a população estava tão organizada à época que conseguiu reverter a situação e aprovar o controle social no SUS através da lei 8142. Mesmo assim, desde o começo o SUS sofre de inanição por financiamento insuficiente. Vários governos se elegeram com discurso de prioridade da saúde, mas fizeram pouco para financiá-la de forma adequada.

    Atualmente, o SUS conta com 40 mil equipes de saúde da família e quase 270 mil Agentes Comunitários de Saúde. Os tratamentos à AIDS são majoritariamente ou exclusivamente feitos pelo SUS, assim como a maior parte da Urgência/Emergência. Na Alta complexidade, 90% das diálises são feitas pelo SUS, 95% dos tratamentos de câncer e cirurgias cardíacas. Nos transplantes, o SUS é o maior programa público do mundo.

    Ninguém pode falar que não usa o SUS, pois desde que acordamos, nascemos e morremos vivemos com o SUS: a água e o remédio que tomamos, a barbearia, o restaurante e o açougue que frequentamos são fiscalizados pela Vigilância Sanitária que é SUS. São milhares de consultas, medicamentos, cirurgias, curativos, vacinas entregues à população todos os dias para todos e todas pelo SUS. E isso pode acabar se você não lutar!

    Além da PEC da morte que aprovou o congelamento dos gastos com saúde, educação e assistência social, o Ministério da Saúde acaba de propor uma nova forma de repasses de verbas para a Atenção Primária do SUS, que são os Centros de Saúde. Tal proposta é ilegal, pois não foi aprovada pelo Conselho Nacional de Saúde e desrespeita a Constituição Federal.  Significa menos verba, na medida em que propõe uma reorganização de um SUS para poucos, podendo resultar em exclusão e segmentação, pois prevê repasses somente para a população cadastrada no SUS, ao contrario da forma anterior, que é baseada em repasses financeiros por habitante.

    Além disso, ao propor que a gestão da Atenção Primária seja feita por uma grande agência privada querem, na verdade, a privatização do SUS. Isso gera gasto enorme e assistência sem qualidade. Tal proposta de (des)financiamento é a volta da concepção de saúde como mercadoria! Só terá acesso quem for cadastrado… é uma volta à década de 80. E vai asfixiar ainda mais, pois não considera o controle social e as equipes multiprofissionais – ao contrário, prioriza a saúde centrada no médico - mesmo sendo os problemas de saúde bastante complexos.

    É urgente uma ampla mobilização de todos e todas para assegurar a saúde como um direito universal como está na nossa Constituição Federal de 1988. A Frente em Defesa do SUS de Minas Gerais, criada a partir da ocupação do Ministério da Saúde em 2016, está reorganizando todas as forças populares e parlamentares para a defesa do SUS universal, estatal, gratuito e de qualidade. É preciso todas as forças para essa luta que é de todos e todas. Vamos para as ruas defender o SUS! E contra a PEC da morte que congelou os investimentos na saúde, educação e assistência social por mais de 20 anos.

    *Gláucia de Fátima Batista – Conselheira Estadual de Saúde e participa da Frente De Defesa do SUS de Minas Gerais

    Artigo publicado originalmente no Jornal Brasil de Fato-MG

    Edição: Rafaella Dotta

    Leia também:

    Fim do DPVAT por Bolsonaro tira cerca de R$ 3 bilhões por ano do SUS

    Associados do SAAEMG e seus dependentes contam com atendimento médico gratuito na rede de clínicas Dr.Agora

    Ministério da Saúde suspende contratos para fabricar 19 remédios do SUS; mais de 30 milhões serão afetados

    Racismo não dá descanso e impacta a saúde e o trabalho dos negros no Brasil

    Saúde Bucal: Cuidado com os dentes é fundamental

    Vídeo denuncia o desmonte do SUS, um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo

    Rua Hermilio Alves, 335
    Santa Tereza - Belo Horizonte - MG
    CEP 31.010-070
    (31) 3057-8200