Atenção Auxiliares de Administração Escolar
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
o SAAEMG orienta os trabalhadores nos seguintes pontos:
Categoria, participe da Greve Geral
Categoria, participe da Greve Geral
"Defenda seu direito à aposentadoria, que foi conquistado com muita luta"
Mobilização Digital
Mobilização Digital
Ferramenta permite pressionar deputados contra a 'reforma' da Previdência
Reforma da Previdência penaliza as mulheres
Reforma da Previdência penaliza as mulheres
Saiba mais no texto abaixo. Mulheres ganham menos que homens, são a maioria dos desempregados e têm mais dificuldade em contribuir para a Previdência
Dois times lideram a competição
Dois times lideram a competição
Colégio Santo Agostinho-SEDESP e Colégio Santa Dorotéia lideram nos seus respectivos grupos
Atendimento médico gratuito no sindicato
Atendimento médico gratuito no sindicato
A categoria tem atendimento em várias especialidades médicas como clínica médica, cardiologia, pediatria, nutrição e fonoaudiologia
Leia o documento no site
Leia o documento no site
Bolsonaro tenta desqualificar estudantes e trabalhadores que participaram das manifestações contra a Reforma da Previdência e o corte na educação
A importância de ser sindicalizado
A importância de ser sindicalizado
13º salário, férias...Essas e outras conquistas são frutos da organização dos trabalhadores e os seus sindicatos
Homologação das Rescisões Contratuais
Homologação das Rescisões Contratuais
O SAAEMG orienta as empresas, contabilidades e trabalhadores que as rescisões contratuais devem ser homologadas no sindicato.
Contribuição assistencial e mensalidade sindical
Contribuição assistencial e mensalidade sindical
Atenção, estabelecimentos particulares de ensino para o informe do sindicato
Aos funcionários das escolas de idiomas
Aos funcionários das escolas de idiomas
Leia abaixo o documento

    Notícias

    03/05/2019
    SAAEMG participa do lançamento da Campanha "Quero Viver Depois de Trabalhar"

    “A reforma da Previdência é danosa para o povo. Por isso, precisamos da união de todos para derrubar essa proposta”, afirmou nessa quarta-feira, no Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, o presidente do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar de Minas Gerais (SAAEMG), Antonio Rodrigues, durante o lançamento da Campanha “Quero Viver Depois de Trabalhar”. Ressaltou, ainda, que a categoria do SAAEMG é formada em sua maioria por mulheres e que estão entre as maiores prejudicadas pela reforma da previdência, por terem dupla jornada. Com a proposta atual elas vão ter que trabalhar mais tempo antes de conseguirem aposentar. O encontro contou, pela primeira vez, com a presença de todas as centrais sindicais neste 1º de Maio – Dia Internacional do Trabalhador. Além do presidente, representaram o sindicato os diretores José Geraldo Vieira e Anderson Silva.

    A presidenta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Estado (CTB-MG), Valéria Morato, também ressaltou a importância de unidade da classe trabalhadora, dos movimentos sociais e partidos progressistas para derrotar a proposta de reforma da Previdência.

    A presidenta da CTB-MG destacou ainda os impactos da reforma na vida dos trabalhadores do campo e da cidade e também sobre as mulheres que, na maioria dos casos, têm dupla jornada de trabalho. Ela pediu que cada trabalhador converse com os seus conhecidos e esclareça sobre os males da reforma da Previdência.

    “Conversem com os amigos, vizinhos e familiares sobre a reforma. Vamos discutir o que está por trás dessa reforma. Não é reforma. É um desmonte dos nossos direitos. Nós não podemos deixar que o governo retire o salário das pessoas com deficiência e passe a pagar R$ 400. Nós não podemos permitir que o trabalhador rural só consiga se aposentar depois de contribuir por 20 anos para o INSS”, disse Valéria Morato.

    A presidenta da CTB-MG ainda falou sobre a proposta de capitalização que está na reforma da Previdência. Essa medida retira a responsabilidade de contribuição do governo e dos patrões para a Previdência e acaba com o seu aspecto social.

    No Chile, esse modelo foi implantado e resultou num alto índice de suicídios entre os idosos que não conseguem se manter depois de trabalhar a vida inteira.

    “Nós não temos salário digno, como vamos conseguir poupar para a Previdência Social? Nós não podemos permitir isso conosco e nem com os nossos pais que trabalharam por tantos anos para conseguir aposentar”, disse Valéria Morato.

    Outro aspecto negativo da reforma da Previdência prevê o aumento do tempo mínimo de contribuição para 35 anos e 65 de idade. Para conseguir 100% do benefício, o trabalhador terá de contribuir por 40 anos.

    Por outro lado, a reforma mantém os privilégios de determinadas categorias, como os militares, por exemplo. Além do mais, a proposta de reforma da Previdência ignora a dívida das grandes empresas junto à Previdência que já somam mais de R$ 470 bilhões.

    Leia também:

    Reforma da Previdência dificulta aposentadoria e rebaixa benefícios

    OAB-MG se posiciona contra a Reforma da Previdência

    A Reforma Previdenciária no contexto de instabilidade econômica e social no Brasil

    Reforma da Previdência é rejeitada por 51% dos brasileiros

    CNBB: PEC da Previdência prejudica os mais pobres

    Reforma reduz aposentadoria por idade; quem ganharia R4 2.000 perde R$ 877

    Reforma da Previdência: Entenda o que está em jogo

    Reforma da Previdência em 5 países: Perdas e Retrocessos

    Como é se aposentar no Chile, o 1º país a privatizar sua previdência

    Idoso pode perder R$ 27,4 mil em 10 anos se reforma mudar BPC, diz Dieese

    Assista:

    Clique aqui e assista o vídeo produzido pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (ANFIP) sobre a farsa do chamado “rombo” da Previdência

     

    Rua Hermilio Alves, 335
    Santa Tereza - Belo Horizonte - MG
    CEP 31.010-070
    (31) 3057-8200