COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
COMUNICADO URGENTE AOS TRABALHADORES DA FUMEC
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
ATENDIMENTO NUTRICIONAL ON-LINE NO SAAEMG
PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA PEDIDO DE BOLSAS DE ESTUDOS ATÉ 25/06/2020
PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA PEDIDO DE BOLSAS DE ESTU
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL - APROVAÇÃO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2020/2021
COMUNICADO 11/06/2020 – RESULTADO ASSEMBLEIA GERAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRTUAL
PROPOSTA DE CCT 2020/2021 A SER VOTADA NA AGE VIRT
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDIN
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
NEGOCIAÇÕES CONVENÇÃO COLETIVA DE TRAB. 2020/2022
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO AOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
COMUNICADO FUNCIONAMENTO SAAEMG
Conheça as decisões da liminar
Conheça as decisões da liminar
Convênio médico com atendimento gratuito
Convênio médico com atendimento gratuito
Associados do SAAEMG e seus dependentes contam com atendimento médico gratuito na rede de clínicas Dr.Agora
Bolsas de Estudos - 2020
Bolsas de Estudos - 2020
Pedidos deverão ser feitos no sindicato a partir de abril
Plano de saúde Unimed para a categoria
Plano de saúde Unimed para a categoria
Fale com um consultor agora
Homologação das Rescisões Contratuais
Homologação das Rescisões Contratuais
O SAAEMG orienta as empresas, contabilidades e trabalhadores que as rescisões contratuais devem ser homologadas no sindicato.
Aos funcionários das escolas de idiomas
Aos funcionários das escolas de idiomas
Leia abaixo o documento
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
Atenção Auxiliares de Administração Escolar
O SAAEMG orienta os trabalhadores nos seguintes pontos:

    Notícias

    29/11/2019
    Mais de 73% das publicações científicas do País são de instituições públicas
    por Jornal da Ciência

    Cerca de 90% das publicações científicas do País são produzidas em 86 instituições, dessas, e apenas 1,8% são originárias de universidades privadas. Mais de 73% provêm de universidades federais e estaduais. “A ciência no Brasil é, majoritariamente, realizada em estabelecimentos de ensino superior, principalmente públicos”, atestam Concepta McManus, professora da UnB, Abílio Afonso Baeta Neves, professor da PUCRS e ex-presidente da Capes, Andrea Maranhão, professora da UnB, e José Alexandre Diniz Filho, professor da UFG, em artigo que traz um panorama da ciência produzida no Brasil.

    Publicado hoje, pelo Jornal da Ciência, o artigo “Ciência no Brasil: alguns dados” mostra que, mesmo com crise, a pesquisa produzida nas instituições brasileiras, nas mais diversas áreas, continua tendo impacto e proeminência mundial. A análise dá como exemplo o aumento verificado no Índice de Citação Ponderada de Campo (FWCI), de 0,78, em 2000, para 0,90, em 2018. O maior FWCI foi registrado há três anos, em 2016: 0,95 – valor pouco abaixo da média mundial. “Importante lembrar que, nos últimos quatro anos, a comunidade científica enfrentou severas restrições financeiras e, para ser altamente citado, é necessário publicar muitas vezes em periódicos de acesso aberto e de alto impacto, o que é uma limitação nas atuais restrições orçamentárias”, destacam os autores.

    Entre 2010 e 2018, o Brasil teve um aumento de 52% no número de cursos de pós-graduação ofertados, a grande parte dessa expansão se deu no Norte, Nordeste e no Centro-Oeste. Chegamos hoje uma média de 60 mil mestres e 21 mil doutores que se formam todos os anos no País. “Não se pode esperar que essas intuições, recém-integradas ao sistema de pós-graduação, produzam a mesma ciência de qualidade que as universidades e instituições de pesquisa mais antigas e estabelecidas em outras regiões do país”, ponderam os autores.

    Mesmo assim, conforme demonstram no artigo, dados do InCites® indicam melhorias contínuas na quantidade e na qualidade da pesquisa que as instituições públicas do ensino superior nessas regiões têm desenvolvido nos últimos 10 anos. Duas universidades federais do nordeste, da Paraíba (UFPB) e Rio Grande do Norte (UFRN) figuram entre as dez principais instituições brasileiras no Índice Nature.

    O artigo também aponta as diferenças de impactos entre as áreas de conhecimento: o impacto das Ciências Humanas e das Ciências Sociais pode ser menos óbvio do que em outras áreas da pesquisa, pois essas áreas estão envolvidas na preservação crítica, análise e forma do patrimônio cultural e na maneira como ele é usado. Alguns desses impactos são evidentes em estudos no Brasil, como os de identidade social e coesão, onde a pesquisa analisa áreas como indígenas, comunidades ou setores específicos da sociedade e entende o que afeta a maneira como eles funcionam. As redes sociais, assim como o apoio às indústrias criativas e culturais, também são evidentes, além de melhorar o debate público que afeta a cultura, a sociedade e as políticas. A interação com o governo, bem como com a mídia pública (jornais, revistas, blogs, TV etc.) em todos os níveis também informa sobre desempenho, prática profissional e políticas públicas, impactando a economia e o governo.

    “As universidades, em geral, estão educando a próxima geração de cientistas, engenheiros, especialistas em políticas e profissionais de saúde. Essas são as pessoas que um dia resolverão os maiores desafios de energia limpa e sustentabilidade global, saúde e bem-estar humano, segurança nacional e oportunidade econômica”, ressaltam.

    Leia também:

    UFMG desenvolve pastilha para eliminar Aedes Aegypti em bueiros

    O que você vai perder com o corte de verbas da UFMG

    Qualidade do ensino da UFMG é confirmada pelo Enade

    SAAEMG participa de manifestação contra os cortes na educação promovidos pelo Governo Bolsonaro

    Cortes do MEC deixam estudantes da UFU sem investimento e trabalhadores sem emprego

    Brasil: Cortes na educação e saúde, além de desemprego em massa

    É preciso que todos mobilizem-se contra os cortes na educação", afirma Frei Betto

    Por Reforma da Previdência, educação perde quase R$ 1 bi

    Governo bloqueia mais de R$ 348 milhões da educação 

    Educação é a área com maior desaprovação no Governo Bolsonaro

    Governo corta repasse para educação básica e esvazia programas

     

    Rua Hermilio Alves, 335
    Santa Tereza - Belo Horizonte - MG
    CEP 31.010-070
    (31) 3057-8200